Sobre queimadas e irresponsabilidade

Quanto tempo leva entre o ato de dar a última tragada no cigarro e esticar o braço para jogá-lo pela janela? Quanto tempo leva para alguém riscar um fósforo e jogá-lo fora? Quanto tempo pode levar a consequência desses atos?

Hoje é quinta-feira. Sábado passado alguém, propositada ou inadvertidamente, colocou fogo no pasto de uma fazenda, na baixada próxima à estrada que vai para Claraval. Desde então, o fogo vem vindo em direção à Franca(SP). Cinco dias. Cinco dias de preocupações, aflições, faltas ao trabalho, gasto de dinheiro, ocupação do Corpo de Bombeiros, noites insones, retirada de bebê para protegê-lo da fumaça que entra em casa e arde os olhos e a mente das pessoas responsáveis. Uma bomba da SABESP no caminho e o risco de deixar milhares sem água na cidade. Seguramente mais de uma dezena de famílias já foi atingida.

queimada acontecendo

O fogo esteve pertinho de mim por mais de 24 horas, do começo da tarde de segunda ao fim da tarde de terça-feira. Ontem à noite, quando eu finalmente voltava a confiar e me concentrar no trabalho, um alerta de mais fogo vindo em minha direção me tira o chão. À primeira vista não havia nada, tudo estava escuro, os pontos vermelhos já tinham sumido do meu campo de visão. Mas não, tem um ponto vermelho ali. E umas fagulhas acolá. Pequenas fagulhas intermitentes que me tiraram o equilíbrio, mobilizaram amigos e nos levaram a uma ronda de avaliação pelo pasto escuro.

Vários pontos em brasa no meio da mata, mas que agora só devem causar a tristeza pelas árvores perdidas. Com exceção de uma… as fagulhas que vi ao longe vem de uma árvore enorme, cuja base arde. Quarta-feira à noite uma enorme boca vermelha estava aberta no tronco, com mais de um metro de altura e 80% do diâmetro consumidos. Quanto tempo leva até que essa árvore caia? Em seu caminho encontrará substrato para provocar outro incêndio? Depois de caída, por quanto tempo arderá por dentro, em direção à sua copa? Devo contratar mais um caminhão pipa para evitar esse potencial incêndio? Na terça-feira já despejei (e paguei por) 16.000 litros de água na mata a fim de conter o fogo. 16.000 litros, num tempo de racionamento de água. Pela minha experiência forçosamente acumulada em um dia, seriam necessários muitos mil litros de água para resfriar essa árvore que arde e me tira a tranquilidade. Quantas árvores como essa o fogo deixou em seu caminho? O que nós, famílias atingidas, ainda temos pelo frente?

queimada árvore

Atear fogo na natureza é crime ambiental. Segundo me disse o cabo do Corpo de Bombeiros que esteve aqui, o criminoso deve pagar R$ 700,00 para cada árvore queimada. Crime incalculável, portanto, já que nesses cinco dias muitos quilômetros quadrados de matas foram atingidos. Para sorte do criminoso, não conhecemos a identidade dele. Torço, entretanto, para que ele leia este relato, reconheça-se e repense seus atos.

Anúncios

Um comentário em “Sobre queimadas e irresponsabilidade

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s